Home » , , , » Confira a programação de filmes da TV Brasil (07 a 15 de Maio)

Confira a programação de filmes da TV Brasil (07 a 15 de Maio)

"Lara", cinebiografia sobre a atriz Odete Lara, com Christine Fernandes, é um dos destaques da programação desta semana.

Neste sábado (7), às 23h, a atração é drama nacional "3 Efes".  Em seguida, à 1h, vai ao ar o filme uruguaio "Caddies". Logo depois, às 2h, entra em cartaz o longa "Refugiados na América Latina – A saída é a fuga".

Neste domingo (8), às 17h, a comédia nacional "Uma Pistola para Djeca" alegra a tarde com o saudoso humorista Amácio Mazzaropi. Já na madrugada para segunda (9), à 1h30, a emissora exibe o drama "Valsa para Bruno Stein", protagonizado pelo ator Walmor Chagas.

No próximo sábado (14), às 15h, o documentário "De Olaria a Helsinque: a História de um Salto" conta a trajetória do atleta José Telles da Conceição. À noite, às 23h, o destaque é a cinebiografia "Lara", sobre a atriz Odete Lara. Em seguida, à 1h, é a vez da produção venezuelana "Conquistando o Forte". Logo depois, às 2h, vai ao ar o documentário "Nobreza Popular", dirigido por Beth Formaggini.
 
Já no domingo (15), às 17h, a comédia "A Banda das Velhas Virgens" traz o humorista Amácio Mazzaropi. Mais tarde, na madrugada para segunda-feira (16), à 1h30, o documentário "O Rei do Samba" traça um panorama sobre a vida e a obra sobre o compositor Geraldo Pereira.

________________________________________________________________
Veja a programação:


Sábado, 7 de maio

3 Efes
23h00, na TV Brasil

Ano: 2007. Gênero: drama. Direção: Carlos Gerbase, com Cris Kessler, Paulo Rodrigues, Ana Maria Mainieri, Felipe de Paula, Carla Cassapo, Leonardo Machado.

3 Efes" é uma comédia dramática que aborda as dificuldades – afetivas, financeiras e culturais – enfrentadas por um grupo de personagens que circula em torno de Sissi (Cris Kessler), uma jovem universitária que sustenta, a duras penas, o pai viúvo e o irmão pequeno.

Nessa situação de dificuldade, Sissi recorre aos conselhos de sua tia, Martina, uma dona-de-casa entediada que, em meio a uma crise no seu casamento com o publicitário Rogério (Leonardo Machado), fica irresistivelmente atraída por William (Paulo Rodrigues), um catador de papel.

Rogério também está em apuros: sua última campanha publicitária deu errado, e agora ele precisa dar um jeito de salvar seu emprego – de qualquer jeito. Assim, sob todas essas pressões do cotidiano, os personagens acabam tomando importantes decisões que vão mudar muita coisa entre eles – e também provocar algumas situações inusitadas.

3 Efes" constrói uma história com personagens de uma grande cidade brasileira, Porto Alegre, vivendo dilemas éticos comuns a muitas pessoas de qualquer canto do mundo: até onde se pode ir para manter um emprego ameaçado, sustentar uma família na fronteira da fome, ou dar vazão a desejos que a sociedade condena?

Dirigido por Carlos Gerbase, o drama “3 Efes” conquistou o prêmio de Melhor filme no 2º Festival de Cinema da Floresta, no Mato Grosso.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 23h00



Sábado, 7 de maio (madrugada de sábado para domingo)

Caddies
01h00, na TV Brasil

Título original: Caddies. País de origem: Uruguai. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Pablo Accuosto.

Liya e seus irmãos menores, Cocoa e o Chinês, trabalham como caddies no luxoso clube de golfe "Cantegril" em Punta del Este, Uruguai. Eles vivem com seus filhos no assentamento irregular de "Kennedy", localizado ao lado do clube.

Acostumados a ocupar sempre um segundo plano, enfrentam agora a possibilidade de ganhar uma demanda laboral que lhes permitiria assumir o controle de seus destinos e de suas famílias.

O filme uruguaio “Caddies” marca a estreia do diretor Pablo Accuosto.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 01h00



Sábado, 7 de maio (madrugada de sábado para domingo)

Refugiados na América Latina – A saída é a fuga
02h00, na TV Brasil

Ano: 2010. Gênero: documentário. Direção: Ique Gazzola.Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Leandro Rolim e Paulo Leite. Realização: TV Brasil.

Para onde ir quando se é obrigado a deixar seu próprio país? Guerras, perseguições políticas e intolerância religiosa são alguns dos motivos que forçaram quase 17 milhões de pessoas a abandonar seus países, em 2013.


Realizado pela TV Brasil Internacional, com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o documentário “Refugiados na América Latina – A saída é a fuga” aborda a situação dos expatriados na região. A produção foi realizada a partir de imagens e entrevistas realizadas em quatro países da América Latina: Brasil, Equador, México e Nicarágua.


Dirigido por Leandro Rolim e Paulo Leite, o documentário é baseado em uma série de reportagens da TV Brasil Internacional que conquistou, em novembro de 2014, prêmio jornalístico da ACNUR por ocasião do trigésimo aniversário da Declaração de Cartagena sobre Refugiados. A produção mostra de perto a situação de quem é obrigado a deixar o seu país.

Reprise. 52 min.
Classificação indicativa: Livre
Horário: 02h00


Domingo, 8 de maio

Uma Pistola para Djeca
17h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 1969. Gênero: comédia. Direção: Ary Fernandes, com Amácio Mazzaropi, Nello Pinheiro, Elizabeth Hartman, Patricia Mayo, Rogério Camara.

Mazzaropi interpreta Gumercindo, um homem pobre e honesto que tem sua filha seduzida pelo filho do fazendeiro. A garota fica grávida, mas a criança é motivo de chacotas por não ter pai.

O patrão acaba expulsando o trabalhador de suas terras e Gumercindo se une à fazendeiros vizinhos para o ajuste de contas. Agora a justiça deverá ser feita, só será preciso que algum louco dê “Um Pistola para Djeca”.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 17h00



Domingo, 8 de maio (madrugada de domingo para segunda-feira)

Valsa para Bruno Stein
01h30, na TV Brasil

Ano: 2007. Gênero: drama. Direção: Paulo Nascimento, com Walmor Chagas, Ingra Liberato, Aracy Esteves, Fernanda Moro, Leonardo Machado, Marcos Verza, Sirmar Antunes, Clemente Viscaino, Yonara Karam, Sergio Mantovanim, Carmen Silva, Nicola Siri.

Bruno Stein vive com sua família em um lugar no meio do nada. São três gerações em conflito: Bruno Stein sente próximo o fim da vida; a neta, Verônica, só espera o momento de ir embora; Valéria, a nora, tenta se conformar com sua solidão.

O patriarca chegou ao Brasil logo após a segunda guerra mundial, vindo com a família da Alemanha. Uma rígida moral protestante norteia a vida de Bruno, tornando difícil o relacionamento com a família. As netas o ignoram e a mulher já não representa muito para ele.

Bruno tenta envolver-se com o trabalho na olaria, com as esculturas, mas nada o motiva. A chegada de Gabriel, um empregado que ele passa a ver como um “arcanjo”, coincide com alguns acontecimentos que começam a mudar a vida de Bruno e das pessoas do lugar.

Um súbito encontro desperta nele novamente a vontade de viver. Bruno e Valéria se apaixonam. E ao mesmo tempo em que descobrem a paixão, lutam com todas as forças para sufocá-la.

Verônica toma a decisão de ir embora e viver a liberdade que a mãe, Valéria, gostaria de ter vivido. Gabriel, com sua ingenuidade, mostra a Bruno que a vida pode ser muito simples. Mas a chegada do filho Luis demonstra que nada poderá ser simples.

Dirigido por Paulo Nascimento, o drama “Valsa para Bruno Stein” é a história de pessoas que precisam tomar decisões que mudarão suas vidas e o preço a ser pago por isto. O filme é uma adaptação do romance homônimo de Charles Kiefer. Protagonizado pelo veterano Walmor Chagas, o longa conquistou o prêmio de Melhor Atriz para Ingra Liberato no Festival de Gramado.

Reprise. 88 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 01h30



Sábado, 14 de maio

De Olaria a Helsinque: a História de um Salto
15h00, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: André Klotzel.

No dia 20 de julho de 1952, nos Jogos Olímpicos de Helsinque, José Telles da Conceição alcançou a marca de 1,98m no salto em altura e conquistou uma inédita medalha de bronze, tornando-se, assim, o primeiro representante do atletismo brasileiro a subir ao pódio. Seu triunfo, porém, foi ofuscado pela conquista do ouro no salto triplo por Adhemar Ferreira da Silva.

Dirigido por André Klotzel, o documentário “De Olaria a Helsinque: a História de um Salto” busca conceder o devido reconhecimento a esse superatleta.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00




Sábado, 14 de maio

Lara
23h00, na TV Brasil

Ano: 2002. Gênero: drama. Direção: Ana Maria Magalhães, com Christine Fernandes, Caco Ciocler, Maria Manoela, Tuca Andrada, Emílio de Melo, Mariana Lima, Gilberto Gawronski, Monique Lafond, Marcos Caruso.

O drama “Lara” conta a agitada história da atriz Odete Lara, considerada uma das musas do Cinema Novo. Dirigido por Ana Maria Magalhães, a cinebiografia lançada em 2002 traça um panorama sobre a vida e a obra da artista que faleceu em 4 de fevereiro de 2015.

Filha de um operário italiano, a artista saiu da periferia de São Paulo para tornar-se a Deusa Loira do cinema brasileiro. Com trilha sonora de Dori Caymmi, o longa se baseia em diferentes momentos de sua trajetória para fazer um retrato de mulher, de uma geração e do mundo em que ela construiu a sua carreira.

A estonteante beleza de Odete Lara lhe abriu muitas portas, mas rapidamente seu talento também foi reconhecido. Ela começou fazendo desfile de moda – apesar de ter apenas 1,60m de altura -, foi garota propaganda da TV Tupi antes de ser atriz do teatro onde conheceu o sucesso.

Do teatro ao cinema foi um pulo. O cinema deu a Odete o status de estrela. Ela se tornou uma das mulheres mais cobiçadas do país. Apesar disso, o sucesso não trouxe felicidade. Ela teve várias relações amorosas decepcionantes e destrutivas.

A trama tem como pano de fundo os 30 tumultuados e mais importantes anos da vida brasileira no século passado: dos anos 1930 a meados dos anos 1970. Três atrizes interpretam Odete Lara em épocas diferentes de sua vida. Luanne Louback faz Odete criança, Maria Manoella é a adolescente e Christine Fernandes é a atriz adulta. Caco Ciocler protagoniza Guima, o personagem masculino mais importante na vida de Odete.

Na infância, Lara Brandini (Christine Fernandes) era uma menina depois da morte de sua mãe por suicídio. Durante a adolescência, ela viveu em uma pensão modesta com seu pai, Francesco (Camilo Bevilacqua). Ao crescer e se tornar atriz, Lara passa a viver com Guima (Caco Ciocler), um dramaturgo que teve sua peça teatral censurada pelo governo. Após a liberação do espetáculo, o texto é montado com Lara no elenco, mas logo depois ela e Guima se separam.

Em busca da ascensão profissional, a artista se dedica totalmente à carreira e acaba sendo premiada como a melhor atriz do ano, até descobrir que o sucesso artístico não a fizera feliz como almejava ser.

Reprise. 107 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 23h00



Sábado, 14 de maio (madrugada de sábado para domingo)

Conquistando o Forte
01h00, na TV Brasil

Título original: Conquistando el Fuerte. País de origem: Venezuela. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Charles Martínez.

"Conquistando o Forte" retrata a vida de Moisés (12), Antoni (12), Luís (13) e Chito (13), várias crianças "conta-histórias" que ganham a vida relatando a história em prosa do vilarejo Juan Griego, em troca de uma gorjeta, às dezenas de pessoas que visitam o pequeno Forte da Galera na Ilha de Margarita, Venezuela.

Todos os dias os garotos disputam, entre jogos, brincadeiras e uma ou outra luta com outros meninos do povoado, a oportunidade de poder contar "a história" aos turistas que sobem a colina para desfrutar da vista da baía, sobretudo quando o sol se esconde no mar do Caribe.

Eles devem ser astutos já que há outros "conta-histórias" maiores que há muito tempo deixaram a escola, mostram problemas de conduta e tentam todos os dias enfrentá-los e tirar-lhes o dinheiro.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 01h00



Sábado, 14 de maio (madrugada de sábado para domingo)

Nobreza Popular
02h00, na TV Brasil

Ano: 2003. Gênero: documentário. Direção: Beth Formaggini.

O documentário “Nobreza Popular” é protagonizado pelas mulheres congadeiras da comunidade de Chapada do Norte, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, que se divertem durante a Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.

A produção focaliza seus gestos, cantos e danças, além dos rituais ligados à água quando pedem chuva e outras graças à Virgem do Rosário.

Dirigido por Beth Formaggini, o filme recebeu Menção Honrosa no Fórum Doc BH (2005).

Reprise. 48 min.
Classificação indicativa: Livre
Horário: 02h00


Domingo, 15 de maio

A Banda das Velhas Virgens
17h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 1979. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner e Amácio Mazzaropi, com Amácio Mazzaropi, Geny Prado, André Luiz Toledo, Gilda Valença, José Velloni.

No longa "A Banda das Velhas Virgens", Mazzaropi é um caipira que tem o sugestivo nome de Gostoso. Ele é o maestro de uma hilariante bandinha feminina formada por senhoras idosas e beatas. Orgulho da pequena cidade, a banda é mantida pelos donativos recolhidos pela igreja.

Os filhos de Gostoso se envolvem com os do patrão e ele resolve sair da fazenda para evitar perseguições. Expulso das terras onde vive, Gostoso recomeça a vida na cidade, indo morar em um depósito de ferro-velho na cidade. Ao encontrar um saco de joias ele é acusado de roubo e tem que fazer de tudo para provar sua inocência. Como o querido caipira vai se safar dessa vez?

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 17h00



Domingo, 15 de maio (madrugada de domingo para segunda-feira)

O Rei do Samba
01h30, na TV Brasil

Ano: 1999. Gênero: documentário. Direção: José Sette, com Gerson Rosa e Rosana Silva.

O documentário musical traça um panorama sobre a vida e a obra do compositor Geraldo Theodoro Pereira.

Com direção, roteiro e produção de José Sette, o filme resgata a trajetória de um dos maiores compositores do Brasil. Como tantos artistas nacionais, a obra de Geraldo Pereira é bem mais conhecida do que o próprio autor. São dele clássicos como “Falsa Baiana”, “Sem Compromisso”, “Escurinho”, “Acertei no Milhar” e “Bolinha de Papel”.

Mineiro de Juiz de Fora, o sambista tinha origem bastante humilde quando decidiu deixar Minas Gerais para morar no Morro da Mangueira, no Rio de Janeiro. A exemplo de ícones do samba como Cartola, Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento, seus companheiros de rodadas de samba, Geraldo Pereira ganhou a admiração de gigantes da música brasileira como Chico Buarque, João Gilberto, Ciro Nogueira, Moreira da Silva e Zeca Pagodinho. Os artistas se encantavam com o estilo de samba sincopado e melodias sofisticadas.

Boêmio e com uma vida desregrada, Geraldo Pereira faleceu jovem, em 1955, aos 37 anos, após uma briga com o lendário malandro da Lapa “Madame Satã”, o que levantou especulações de que essa teria sido a causa da sua morte.

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 01h30
_______________________________________

Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação|TV Brasil
Share this article :
 
Copyright © 2015. antigo.Cinesom. Jornalista Responsável: Elisabete Estumano Freire.