Home » , , , , » Filmes e documentários nacionais são os destaques da TV BRASIL desta semana (9 a 12 de Junho)

Filmes e documentários nacionais são os destaques da TV BRASIL desta semana (9 a 12 de Junho)



"Menos que nada", de Carlos Gerbase, é um drama que aborda a origem e o tratamento da doença mental. O filme será exibido dia 11 de Junho.

Dirigido por Carlos Gerbase, o filme é uma adaptação do conto “O Diário de Redegonda”, do médico e escritor austríaco Arhur Schnitzler (1862-1931).

Neste quinta (9), às 19h30, o documentário nacional "Rainha Hortência & Magic Paula" aborda a trajetória das geniais atletas do basquete feminino brasileiro na década de 1990. Mais tarde, na madrugada para sexta (10), às 2h30, o documentário inglês "A Batalha pela Cidade Sagrada" acompanha os dramas da chamada Guerra dos Seis Dias.

Neste sábado (11), às 15h, o documentário "Pátria" conta a saga das jogadoras de vôlei do Brasil medalhistas de bronze no Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, e resgata a rivalidade com as cubanas.

Ainda no sábado (11), às 23h, o longa brasileiro "Menos que Nada" traz elementos de drama psicológico e investigação policial. Já à 1h da manhã para domingo (12), o filme brasileiro "Guataha" faz uma viagem com um líder indígena pela América do Sul.

Já no domingo (12), à meia-noite, o destaque é o longa indiano "A Esposa Solitária", drama dirigido pelo célebre cineasta Satyajit Ray. Em seguida, às 2h10, vai ao ar o longa nacional "Astro - uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico".

_________________________________________________________

Filmes da TV Brasil 9 a 12 de junho de 2016

Quinta-feira, 9 de junho

Rainha Hortência & Magic Paula
19h30, na TV Brasil

Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Rubens Rewald.

Hortência e Paula, duas das maiores jogadoras de basquete de todos os tem­pos no mundo, fizeram parte da mais vitoriosa geração do basquetebol femi­nino do Brasil na década de 1990

Conhecida como a "Rainha" das quadras, Hortência foi dona da camisa 4 da seleção por quase 20 anos e formou ao lado de "Magic" Paula uma dupla genial, que foi capaz de lotar ginásios em todo o país.

As duas integraram o time feminino de basquete que conquistou a medalha de prata nas olimpíadas de Atlanta, nos Estados Unidos, em 1996. Com uma ótima campanha e uma equipe focada, as brasileiras caíram diante da seleção americana, mas mesmo assim foi um grande vitória, sendo essa a primeira medalha olímpica conquistada pelas meninas do basquete feminino brasileiro.

Dirigido por Rubens Rewald, o documentário “Rainha Hortência & Magic Paula” conta a história das duas atletas, recorda e rivalidade e a incrível geração que jogou com as craques e fez história pela seleção brasileira feminina de basquete nos anos 1990.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h30


Quinta-feira, 9 de junho (madrugada de quinta para sexta-feira)

A Batalha pela Cidade Sagrada
02h30, na TV Brasil

Ano: 2005. Título original: TBattle For The Holy City: The Six-Day War. País de origem: Inglaterra. Gênero: documentário. Produção executiva: David Upshal, Colin Cameron. Produção: Lion TV.

"A Batalha pela Cidade Sagrada" mostra que em um espaço de seis dias, em junho de 1967, Israel tinha quadruplicado o território sob seu controle. As forças israelenses destruíram os exércitos do Egito e capturaram toda a margem ocidental do rio Jordão. Mas, questões não resolvidas da Guerra dos Seis Dias continuam atormentando Israel ainda hoje.

A Guerra dos Seis Dias, também conhecida como Guerra de 1967 ou Guerra de junho de 1967, ou ainda Terceira Guerra Árabe-Israelense, foi o conflito que envolveu Israel, Síria, Egito, Jordânia e Iraque, entre 5 e 10 de junho daquele ano. O combate foi a mais consistente resposta árabe à fundação do Estado de Israel, apesar do estado sionista ter saído como grande vencedor.

Reprise. 50 min.
Classificação indicativa: 14 anos
Horário: 02h30


Sábado11 de junho

Pátria
15h00, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Fábio Meira.

O vôlei feminino só conquistou sua primeira medalha olímpica em 1996, nos Jogos de Atlanta. As responsáveis por este feito foram Fernanda Venturini, Ana Moser, Márcia Fu, Hilma, Ana Flávia, Ida, Ana Paula, Virna, Leila, Fofão, Filó e Sandra. Base da equipe titular da seleção, as atletas trouxeram o bronze para o Brasil após um emocionante jogo contra a seleção russa.

Até então, a modalidade não contava com tantos investimentos. A partir do exemplo desse grupo vitorioso, mudou-se a percepção, dando maior importância ao esporte.

Quem não se lembra da fatídica semifinal contra Cuba? Talvez seja essa a principal recordação dos brasileiros em relação a essa equipe: a explosiva rivalidade entre as seleções femininas de vôlei na década de 90, com foco na disputa olímpica de Atlanta.

Além de mostrar diversas cenas daquela histórica semifinal, o documentário “Pátria” recupera imagens de arquivo e traz entrevistas com atletas e comissão técnica, além do depoimento de jogadoras de gerações anteriores, como Jaqueline e Isabel.

O filme percorre o caminho da conquista da medalha, visitando locais emblemáticos como o Mineirinho, o Maracanazinho e o ginásio do Ibirapuera. Naquela oportunidade, as meninas do Brasil chegaram pela primeira vez a uma final de um campeonato mundial, embaladas por 25 mil torcedores.

A produção também vai em busca da tricampeã olímpica Mireya Luís, antagonista dessa saga e notória algoz da seleção nacional e do técnico da seleção cubana, Eugênio Jorge. O diretor Fábio Meira reuniu Ana Moser, Marcia Fu, Virna além das rivais Mireya Luís, Regla Torres e Carvajal para ver o jogo de novo. A reação das atletas remete às provocações da época.

O documentário “Pátria” conta a trajetória desse formidável elenco de vôlei feminino que conquistou o primeiro pódio olímpico da modalidade, com a medalha de bronze, e colocou o Brasil na elite do esporte.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00



Sábado11 de junho

Menos que Nada
23h00, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Carlos Gerbase, com Alexandre Vargas, Artur Pinto, Branca Messina, Carla Cassapo, Elisa Volpatto, Felipe Kannenberg, Felipe Monaco, Letícia Lahude, Maria Manoella, Matheus Zoltowski, Roberto Oliveira, Rosanne Mullhlland.

Dante (Felipe Kannenberg) está internado num hospital psiquiátrico com diagnóstico de esquizofrenia. Ele não fala com ninguém, nem recebe visitas, permanecendo indiferente ao mundo.

Após ver Dante surtar no pátio do hospital, a Dra. Paula (Branca Messina), uma jovem psiquiatra fica interessada pelo caso. Disposta a desvendar as relações sociais do seu paciente, a médica faz uma série de entrevistas com pessoas que conviviam com ele antes do internamento.

Misto de drama psicológico e investigação policial, o longa “Menos que nada” também é uma reflexão sobre os limites do tratamento das perturbações mentais. Dirigido por Carlos Gerbase, o filme é uma adaptação do conto “O Diário de Redegonda”, do médico e escritor austríaco Arhur Schnitzler (1862-1931).

Reprise. 105 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 23h00



Sábado11 de junho (madrugada de sábado para domingo)

Guataha
01h00, na TV Brasil

Título original: Guataha. País de origem: Brasil. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Clarissa Knoll.

O documentário trata da viagem de Ñevangaju Tupa, um xamã Ava Guaraní de 85 anos de idade, que vive no vilarejo de Ava Guaraní Ocoy, município de São Miguel do Iguaçu, na tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, até o seu vilarejo natal no Paraguai, acompanhado de seus netos aprendizes.

O filme brasileiro é dirigido por Clarissa Knoll.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 01h00


Domingo12 de junho (madrugada de domingo para segunda-feira)

A Esposa Solitária
00h00, na TV Brasil

Título original: Charulata. País de origem: Índia. Ano: 1964. Gênero: drama/romance. Direção: Satyajit Ray, com Madhabi Mukherjee, Soumitra Chatterjee, Shailen Mukherjee, Shyamal Ghosal.

Em 1870, na Índia sob domínio inglês, Charulata (Madhabi Mukherjee) é casada com o abastado indiano Bhupati (Sailen Mukherjee). Apesar de se considerar uma mulher privilegiada, a bela e inteligente jovem perambula pela casa, sentindo-se profundamente só. Proprietário de um jornal, Bhupati ama a esposa, porém passa mais tempo no escritório e fazendo carreira política no movimento de libertação do que em casa.

Ao perceber a solidão da mulher, o rapaz pede que seu primo Amal (Soumitra Chatterjee) faça companhia à sua esposa, estimule o talento artístico dela e ensine a Charulata tudo que sabe sobre literatura. O aspirante a escritor vai viver com eles para tentar encontrar um rumo para a sua vida.

Após alguns meses, os sentimentos entre Charula e Amal começam a ultrapassar a simples amizade. A partir daí, Bhupati passa a se preocupar com a intensidade da relação entre o primo e sua mulher.

Gravado em 1964 pelo célebre diretor indiano Satyajit Ray (1921-1992), o poético filme “A Esposa Solitária” resgata uma história que se passa em Calcutá no final do século XIX. Com sutileza e elegância, a trama do longa foi adaptada do romance “Nastanirh” (The Broken Nest), escrito por Rabindranath Tagore.

Indicado ao Urso de Ouro, o experiente e aclamado cineasta Satyajit Ray recebeu o Urso de Prata de melhor diretor no Festival de Berlim de 1965 por seu trabalho à frente do drama “A Esposa Solitária”, clássico do cinema indiano.

Versátil, Satyajit Ray dirigiu 37 filmes e, em 1992, conquistou o Oscar Honorário concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em reconhecimento a sua produção.

Reprise. 117 min.
Classificação indicativa: 12 anos
Horário: 00h00




Domingo12 de junho (madrugada de domingo para segunda-feira)

Astro - uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico
02h10, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Paula Trabulsi, com Alexandra Dahlstrom, Veronica Debom, Cláudio Cavalcanti, Regina Duarte, Odilon Wagner, Fiorella Mattheis, Leopoldo Pacheco, Sérgio Marone.

Filha de mãe brasileira e pai sueco, Astro (Alexandra Dahlström) deixa sua vida na Suécia para visitar o Rio de Janeiro. Ela vem receber um casarão de herança, mas acaba ficando fica mais tempo do que esperava. A trama revela o processo de adaptação da jovem na Cidade Maravilhosa.

Com o tempo, acaba conhecendo Alice (Veronica Debom) e seu grupo de amigos, passando a interagir ainda mais com a cidade. Tanto a beleza ao seu redor quanto o afeto que recebe atuam como mola propulsora no desenrolar de sua transformação.

O Rio de Janeiro e as artes são elementos essenciais que interagem o tempo todo com os personagens e a narrativa. O longa apresenta o trabalho de artistas de várias partes do mundo que, em paralelo à trama, promovem intervenções, video-arte, músicas e outras performances.

Primeiro longa da diretora Paula Trabulsi, após realizar 11 curtas-metragens e mais de dois mil filmes publicitários, o drama “Astro – uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico” foi uma das últimas produções de Cláudio Cavalcanti que faleceu em 2013. No papel do advogado Ismael Salgado, ele ganhou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. O elenco do longa ainda conta com Regina Duarte e Odilon Wagner.

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 02h10




Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação|TV Brasil
Share this article :
 
Copyright © 2015. antigo.Cinesom. Jornalista Responsável: Elisabete Estumano Freire.