Home » , » Filmes premiados nacionais e estrangeiros na programação da TV BRASIL (29 de agosto a 4 de setembro)

Filmes premiados nacionais e estrangeiros na programação da TV BRASIL (29 de agosto a 4 de setembro)

O filme "Em Teu Nome", com direção de Paulo Nascimento, e premiado no Festival de Gramado é um dos destaques da semana.


Nesta segunda (29), às 23h10, a atração é o documentário "Depois Rola o Mocotó".

Nesta terça (30), às 22h10, a emissora exibe o filme inédito "Raça", dirigido por Joel Zito Araújo Megan Mylan.

Nesta quarta  (31), às 22h10, o premiado longa nacional "O Sal da Terra" também estreia na grade do canal.

Na quinta (1), às 22h10, a TV Brasil mostra o drama "Anuska, Manequi e Mulher", primeiro filme do diretor Francisco Ramalho Jr. Com grande elenco, tem roteiro baseado em um conto original do escritor Ignácio de Loyola Brandão.

Já na sexta (2), às 22h10, o filme programa é "Em Teu Nome", com direção de Paulo Nascimento e premiado noFestival de Gramado.

No próximo sábado (3), o documentário "5 x Yane" conta a história da pernambucana Yane Marques que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, no pentatlo moderno. A emissora ainda exibe "Depois Rola o Mocotó" às 23h30. Mais tarde, à 4h para domingo, entra o longa colombiano "Vogulys".

Por fim no domingo (4), as sessões de filme começam às 14h com "O Jeca e a Freira", de Amácio Mazzaropi. À meia-noite, a emissora estreia o filme uruguaio "Os de sempre" na faixa DOCTV América Latina V. Logo após, vai ao ar o drama "O Preço do Perdão", do Senegal.
_______________________________________________________________________


Filmes da TV Brasil 29 de agosto a 4 de setembro de 2016


Segunda-feira, 29 de agosto

Depois Rola o Mocotó
23h10, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Debora Herszenhut e Jefferson Oliveira. Coprodução: Urca Filmes, Empresa Brasil de Comunicação - TV Brasil e ABEPEC – Associação Brasileira de Emissoras Públicas, Educativas e Culturais.

O documentário “Depois Rola o Mocotó” acompanha o percurso de duas famílias na construção das lajes de suas casas. A produção traça um panorama sobre as muitas lajes das favelas, com seus eventos realizados e os sonhos depositados neste espaço poético e filosófico que abriga um pouco de toda a cultura das favelas cariocas.

Unanimidade em 99% das casas das favelas cariocas a partir da década de 90, hoje, a laje é ícone de uma cultura das periferias das capitais de todo o Brasil. As favelas parecem brotar do solo das metrópoles do país, como flores que nascem do cimento, insistindo em nascer nos espaços onde aparentemente já não se pode.

A laje é protagonista nas periferias do Rio de Janeiro. O filme mostra quem são os grandes empreiteiros anônimos da cidade, que constroem casas e “batem” lajes, favelas a fora, numa velocidade inacreditável. O documentário revela quem são os donos dessas casas e como se organizam para conseguirem mão de obra para a construção.

Ao observar a evolução de algumas dessas obras, a proposta é destacar a dinâmica das relações e da organização social de uma população que assume o protagonismo da edificação de seu próprio ambiente e seu projeto habitacional.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 23h10


Terça-feira, 30 de agosto

Raça
22h10, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Joel Zito Araújo e Megan Mylan.

Apesar de viverem em um país com a segunda maior população negra do mundo e com a reputação de harmonia racial, os afro-brasileiros permanecem praticamente ausentes dos salões do poder. O documentário “Raça” apresenta a história de três pessoas na linha de frente da batalha contemporânea pela igualdade em um país que se orgulha de ser exemplo de democracia racial.

Dirigido por Joel Zito Araújo e Megan Mylan, o filme acompanha as ações de três personagens nessa luta. Em Brasília, o único senador negro defende o Estatuto da Igualdade Racial. Em São Paulo, um famoso cantor negro lança uma emissora de TV. Na zona rural, uma neta de africanos escravizados defende os direitos de sua terra ancestral.

Inédito. 106 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h10



Quarta-feira, 31 de agosto

O Sal da Terra
22h10, na TV Brasil

Ano: 2008. Gênero: drama. Direção: Elói Pires Ferreira, com Edson Rocha, Enéas Lour, Luthero Almeida, Cristina Pereira, Emílio de Mello, Christiane Macedo, Rafael Camargo, Diegho Kozievitch e Lala Schneider.

O longa “O Sal da Terra” é, em sua forma e essência, um road-movie. Os cenários do filme são as estradas nacionais onde se focaliza um contexto gerado pelo gigantismo do Brasil rodoviário.

A produção conta a história de um padre caminhoneiro e suas andanças junto ao povo da estrada. Ao longo do caminho, na boléia de seu caminhão-capela, ele vai conhecendo personagens marcantes e descobrindo a diversidade humana que a estrada apresenta.

Tipos humanos característicos desse ambiente catalisam a missão do Padre Miguel, um sacerdote que há muitos anos trocou sua paróquia na cidade pela tarefa de atender ao povo da estrada.

Entre a solidão dos quilômetros rodados e a surpresa dos encontros, pelas estradas ou em postos de gasolina, o padre traça um itinerário ilustrado pela aventura de viver de cada personagem e pontuado pela celebração da missa.

A partir da da estrutura desse ritual milenar - alvo artístico consagrado universalmente por criadores das mais diversas vertentes - o filme percorre uma vasta simbologia e suas identificações com o cotidiano popular.

A população itinerante retratada pelo drama se revela, na verdade, um espelho da condição de viventes à procura de um rumo. Sempre em constante movimento, como costumam ser a vida e o cinema.

Dirigido por Elói Pires Ferreira, o longa recebeu o Prêmio Margarida de Prata oferecido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e conquistou o European Spiritual Film Festival.

Inédito90 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 22h10



Quinta-feira, 1 de setembro

Anuska, Manequim e Mulher
22h10, na TV Brasil

Ano: 1968. Gênero: drama. Direção: Francisco Ramalho Jr.com Francisco Cuoco, Marília Branco, Ivan Mesquita, Luís Sérgio Person, Ruthinéa de Moraes, José de Abreu, Armando Bógus, Jean-Claude Bernardet.

A aspirante a modelo Anuska (Marília Branco) encontra no empresário Sábato (Ivan Mesquista) uma forma de concretizar suas ambições. Mas, em pouco tempo, o jornalista Bernardo (Francisco Cuoco) entra em cena e conquista o coração da jovem.

Na tentativa de subir na carreira da alta costura, ela compromete seu romance com o homem que a apóia, além de levá-lo ao fracasso.

Com roteiro baseado em um conto original de Ignácio de Loyola Brandão, o drama “Anuska, Manequim e Mulher” é o primeiro filme dirigido por Francisco Ramalho Jr.

A produção lançada em 1968 reúne grande elenco formado por Francisco Cuoco, Marília Branco, Ivan Mesquita, Luís Sérgio Person, Ruthinéa de Moraes, José de Abreu, Armando Bógus e Jean-Claude Bernardet.

Inédito95 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 22h10



Sexta-feira, 2 de setembro

Em Teu Nome
22h10, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: drama. Direção: Paulo Nascimento, com Leonardo Machado, Fernanda Moro, César Troncoso, Nelson Diniz, Silvia Buarque, Marcos Paulo, Julia Feldens, Sirmar Antunes, Marcos Verza, Gilberto Perin, Jeffersonn Silveira.

Nos anos 1970, a América Latina vivia um período de ditaduras militares. Alguns tentavam resistir. Entre eles, Boni, um estudante de engenharia que entra na luta armada contra o governo, mas carrega dúvidas sobre se esta é a melhor forma de agir.

Cecília, sua namorada, quer viver a vida "como todos os outros" estão vivendo na época. Boni é preso, torturado e expulso do país. Cecília vai atrás dele e passam a viver tempos de fuga, mas também de amor no Chile, Argélia e, finalmente, Paris, onde Boni se torna o presidente do Comitê pela Anistia, onde começam a preparar a volta para casa.

Dirigido por Paulo Nascimento, o drama “Em teu nome” ganhou vários prêmios no Festival de Gramado. O longa foi reconhecido nas categorias Melhor Música, Melhor Ator (Leonardo Machado) e Melhor Diretor (Paulo Nascimento). O filme ainda conquistou o Prêmio Especial do Júri.

Reprise102 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 22h10


Sábado, 3 de setembro

5 x Yane
12h30, na TV Brasil

Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Renata Almeida Magalhães e Flora Diegues.

Esgrima, natação, hipismo, tiro e corrida são as cinco provas que compõe o pentatlo moderno, modalidade na qual a pernambucana Yane Marques conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano de 2012.

O filme “5 x Yane” narra a trajetória da pentatleta Yane Marques da infância pobre, em Afogados da Ingazeira (PE), até a medalha de bronze nas Olimpíadas de Londres. Em paralelo, a produção faz uma volta ao tempo para revelar a origem do pentatlo e seus motivos heroicos.

O documentário recorda grande atletas e o pensamento de intelectuais como Aristóteles a quem é atribuída a frase: "o pentatleta é o mais perfeito esportista, pois seu corpo possui força e velocidade, combinadas em harmonia".

A soma das duas narrativas – competitiva e histórica – ajuda a construir o mito Yane Marques no documentário realizado pelas diretoras Renata Almeida Magalhães e Flora Diegues.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 12h30


Sábado, 3 de setembro

Depois Rola o Mocotó
23h30, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Debora Herszenhut e Jefferson Oliveira. Coprodução: Urca Filmes, Empresa Brasil de Comunicação - TV Brasil e ABEPEC – Associação Brasileira de Emissoras Públicas, Educativas e Culturais.

O documentário “Depois Rola o Mocotó” acompanha o percurso de duas famílias na construção das lajes de suas casas. A produção traça um panorama sobre as muitas lajes das favelas, com seus eventos realizados e os sonhos depositados neste espaço poético e filosófico que abriga um pouco de toda a cultura das favelas cariocas.

Unanimidade em 99% das casas das favelas cariocas a partir da década de 90, hoje, a laje é ícone de uma cultura das periferias das capitais de todo o Brasil. As favelas parecem brotar do solo das metrópoles do país, como flores que nascem do cimento, insistindo em nascer nos espaços onde aparentemente já não se pode.

A laje é protagonista nas periferias do Rio de Janeiro. O filme mostra quem são os grandes empreiteiros anônimos da cidade, que constroem casas e “batem” lajes, favelas a fora, numa velocidade inacreditável. O documentário revela quem são os donos dessas casas e como se organizam para conseguirem mão de obra para a construção.

Ao observar a evolução de algumas dessas obras, a proposta é destacar a dinâmica das relações e da organização social de uma população que assume o protagonismo da edificação de seu próprio ambiente e seu projeto habitacional.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 23h30



Sábado, 3 de setembro (madrugada de sábado para domingo)

Vogulys
04h00, na TV Brasil

Título original: Vogulys. País de origem: Colômbia. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Lukas Jaramillo Ortiz.

Jonas Vogulys é uma pessoa singular. Mago, perfumista, inventor, acordeonista e casamenteiro. Atualmente dirige a agência matrimonial "Vogulys", a mais antiga da Colômbia. Depois de mais de 10 mil casamentos realizados, a agência está em declínio para a chegada dos sites de encontros pela internet.

Com a incerteza sobre o futuro do empreendimento, Jonas se empenha para preservar o negócio da família. Enquanto luta para manter a agência funcionando, vai tentar envolver seus filhos na iniciativa, bem como seu pai fez com ele há 30 anos.

Para isso, Jonas decide fazer um filme familiar que percorre os passos do legado mais importante de sua família: a agência de casamento. O filme colombiano mostra que Jonas Vogluys deve tomar a decisão de fechar o negócio ou seguir em frente.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00



Domingo, 4 de setembro

O Jeca e a Freira
14h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 1968. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi, com Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Mauricio do Valle, Elizabeth Hartman, Carlos Garcia, Ewerton de Castro.

Em uma fazenda no interior do Brasil, no século XIX, um senhor de terras responsabiliza-se pela educação da filha de um dos seus colonos. Ele se afeiçoa a menina como se fosse sua própria filha.

Anos mais tarde, quando a jovem regressa do colégio em companhia de uma freira, o fazendeiro faz de tudo para que ela não reconheça seus verdadeiros pais.

Neste longa, o humorista Amácio Mazzaropi vive o protagonista e também dirige a comédia.

Reprise. 102 min.
Classificação indicativa: Livre
Horário: 14h00


Domingo, 4 de setembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Os de sempre
00h00, na TV Brasil

Título original: Los de siempre. País de origem: Uruguai. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: José Pedro Charlo Filipovich.

Num bairro muito humilde e repleto de conflitos em Montevidéu, capital do Uruguai, um grupo de moradores se uniu há vários anos para formar um coral. Muitos dos integrantes têm cerca de 70 anos. Alguns são fundadores do bairro, outros moram lá há muitas décadas e conhecem suas transformações.

A policlínica da região oferece o espaço para os ensaios do grupo. Lá, compartilham vivências. Juntos, superam a solidão e o isolamento. O coral é uma oportunidade para conhecer outras pessoas e lugares e se vincular a elas. Apesar desses momentos de felicidade, após os ensaios ou das atuações em diferentes lugares, os integrantes sempre têm que voltar à dura realidade cotidiana.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00



Domingo, 4 de setembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

O Preço do Perdão
01h00, na TV Brasil

Título original: Le prix du pardon. País de origem: Senegal. Ano: 2002. Gênero: drama. Direção: Mansour Sora Wade, com Alioune Ndiaye, Dienaba Niang, Gora Seck, Hubert Koundé, James campbell, Rokhaya Niang, Thierno Ndiaye Doss.

Um espesso nevoeiro cobre um vilarejo da costa sul do Senegal há vários dias e impede a entradas das pequenas embarcações no mar. O velho religioso da aldeia está moribundo e não pode executar os ritos.

Com apenas 20 anos, o jovem Mbanik, filho do ancião, ganha a confiança do povo e cativa a jovem Maxoye, mas seu sucesso desperta a inveja de Yatma, seu amigo de infância.

Inspirado no romance homônimo do escritor Mbissane Ngom, o drama “O Preço do Perdão”, dirigido pelo cineasta senegalês Mansour Sora Wade, busca respeitar a tradição da cultura oral africana.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 01h00

______________________________________________

Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação | TV Brasil | Rádios Nacional e MEC
Share this article :
 
Copyright © 2015. antigo.Cinesom. Jornalista Responsável: Elisabete Estumano Freire.