Home » , , , , , » ÚLTIMAS DIAS DA MOSTRA CINECITTÀ - A FÁBRICA DE SONHOS NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO

ÚLTIMAS DIAS DA MOSTRA CINECITTÀ - A FÁBRICA DE SONHOS NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO


Clássicos do cinema italiano como Roma, Cidade Aberta, Era uma vez no Oeste Morte em Veneza, além de um debate, completam a programação que termina no domingo, 18 de dezembro

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, até 18 de dezembro, a mostra Cinecittà - A Fábrica de Sonhos, com filmes que representam um recorte histórico das obras realizadas no famoso complexo de estúdios Cinecittà, localizado na periferia de Roma, entre os anos 1940 e 1980. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.
Clássicos como O Evangelho segundo São Mateus1900Roma, cidade aberta, Era uma vez no Oeste Morte em Veneza, entre outras obras-primas do cinema italiano, serão apresentados neste últimos dias da mostra, em versões digitais remasterizadas, o que proporciona ao espectador contemporâneo uma experiência estética inédita.

Cena de "Morte em Veneza"
Sob curadoria de Amanda Bonam, a seleção das obras tem como objetivo evidenciar o cinema de estúdio e as escolhas de cada cineasta para as questões de cenário, iluminação e efeitos especiais nos mega estúdios italianos. Inaugurado pelo ditador Benito Mussolini em 1937 para difundir os ideais fascistas, Cinecittà tornou- se um pólo internacional, berço de milhares de filmes fundamentais para a história do cinema italiano e mundial.
Na quinta-feira, dia 15, a mostra promove o seu terceiro debate, que terá como tema “A plástica e a direção de arte no cinema da Cinecittà”, com participação do produtor Cavi Borges, fundador da Cavídeo, locadora especializada em filmes raros e de arte, e da cenógrafa Ana Paula Cardoso, com moderação da curadora Amanda Bonan..

Histórico:
Invadida pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, a cidade do cinema foi completamente destruída. A Fábrica de Sonhos ou a Hollywood do Tévere – em alusão ao Rio Tibre, um dos mais importantes da Itália - foi reconstruída no pós- guerra e viveu seus dias de glória nos anos 1950 e1960. A capital italiana transformou-se na meca do cinema mundial e atraiu os principais diretores italianos e grandes produções estrangeiras.

Cena de "Roma, cidade aberta"
Até a década de 1970, foram rodados mais de 3 mil filmes em Cinecittà. Devido a falta de investimentos, no início dos anos 1980, a Cinecittà Studios sobreviveu com a produção de programas televisivos. Em 1990, foi criada a estatal Cinecittà International, para gerir e manter os studios, projeto que durou apenas seis anos. Em 1998, foi privatizada.

Atualmente, Cinecittà ainda é um centro da indústria cinematográfica e televisiva europeias. Realiza grandes eventos e é aberta à visitação pública, com diversas atrações ligadas ao cinema, além de exposições com fotografias, cenários, figurinos e objetos de cena das grandes produções realizadas ao longo de quatro décadas de glória.

Outras informações sobre a mostra podem ser acessadas no endereço:

Programação – últimos dias:

15 de dezembro (quinta-feira)

14h – A cidade se defende (La città si difende) (1951), de Pietro Germi, 84 min, 12 anos.
17h – O Evangelho segundo São Mateus (Il Vangelo Secondo Matteo) (1964), de Pier Paolo Pasolini, 137 min, 12 anos.
19h30 – DebateA plástica e a direção de arte no cinema da Cinecittà, com Cavi Borges e Ana Paula Cardoso. Moderação de Amanda Bonan.



16 de dezembro (sexta-feira)
14h – Medéia, a feiticeira do amor (Medea) (1969), de Pier Paolo Pasolini, 110 min, 18 anos.
16h30 – Morte em Veneza (Morte a Venezia) (1971), de Luchino Visconti, 130 min, 16 anos.
18h50 – Roma, cidade aberta (Roma città aperta) (1945), de Roberto Rosselini, 103 min, 14 anos.



17 de dezembro (sábado)
Cena de "Era uma vez no oeste"
14h – De crápula a herói (Il generale Della Rovere) (1959), de Roberto Rosselini, 132 min, 14 anos.
17h – Era uma vez no Oeste (C'era una volta il West) (1968), de Sergio Leone, 165 min, 14 anos.



18 de dezembro (domingo)
14h – A classe operária vai para o paraíso (La classe operaia va in Paradiso) (1971), de Elio Petri, 125 min, 16 anos.
16h30 – O Evangelho segundo São Mateus (Il Vangelo Secondo Matteo) (1964), de Pier Paolo Pasolini, 137 min, 12 anos.
19h10 – Os eternos desconhecidos (I soliti ignoti) (1958), de Mario Monicelli, 106 min, 14 anos.



Serviço:
Mostra Cinecittà – A fábrica de sonhos
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815
Data: 29 de novembro a 18 de dezembro de 2016 (terça-feira a domingo) Horários: Consultar programação
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
page2image20112 page2image20272 page2image20432

Lotação: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes) Classificação Indicativa: Consultar programação Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal



Fonte: Claudia Oliveira/ Raquel Silva.
Share this article :
 
Copyright © 2015. antigo.Cinesom. Jornalista Responsável: Elisabete Estumano Freire.